Domingo, 26 de Fevereiro de 2012

(16) Ainda ontem era Abril!

Ainda ontem era Abril!

Ainda ontem era Abril… ainda ontem a revolução trouxe a mudança…
E hoje? Hoje vives de rotinas feitas por obrigação e não por convicção,
Arrastas-te no passar dos dias sempre iguais, sempre deprimentes,
Ouves as mesmas vozes, os mesmos gritos, a mesma desconsideração,
Finges não ouvir as ofensas que veladas ou descaradas te dirigem,
Finges não ver os olhares de soslaio cheios de má vontade e desprezo,
Finges não perceber quando te tratam como um pano de chão usado,
Finges não sofrer por dentro com as investidas que te magoam por fora…
Ainda ontem era Abril… hoje os cravos estão murchos, secos e descoloridos…
Hoje revoltaste contra as amarras da mansidão com que te agrilhoaram,
Hoje revoltaste contra os que aos poucos destruíram o teu futuro,
Hoje revoltaste contra os que empenharam o futuro dos teus filhos,
Hoje revoltaste com os que te mentiram e descaradamente te saquearam,
Hoje revoltaste com a esperança de que ouçam o teu grito de revolta…
Ainda ontem era Abril… hoje os cravos estão espezinhados no chão…
Chão que um dia foi seara loura e farta que deu fruto e se fez pão,
Chão que um dia foi árvore que deu fruto e campo que deu alimento,
Chão que um dia deu novos mundos ao mundo por descobrir,
Chão que um dia abraçou o ganha-pão que o mar depositou a seus pés,
Chão que um dia foi de luta, de sangue, de convicção, de liberdade,
Chão que hoje é apenas sombra do que foi um dia um país chamado Portugal…

 

Helena

publicado por poesiaemrede às 01:46
link do poema | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Nanda a 4 de Março de 2012 às 19:56
Helena,
Sombras de um Abril tão esperado...
Gostei muito.
Nanda

Comentar poema

Poemas a Concurso

Publicação Final

(45) Manifesto

(44) A miséria que ningué...

(43) POETA DO MAR ONDULA...

(42) Longos sorvos de tem...

(41) Desgraça, grande mal...

(40) A voz da sociedade

(39) O Segredo das Palavr...

(38) Nada

(37) FORCA POÉTICA

(36) Portugal

(35) Globalização fratern...

(34) 18.02, tarde.

(33) livro de reclamações

(32) NO MEU RIO IMAGINÁRI...

(31) Tubarões

(30) Abril

(29) Da lusa gente (ou fa...

(28) Doença

(27) PORTUGAL IMIGRANTE

(26) “Quando perdemos alg...

(25) ANO 2012

(24) Como tu

(23) Desculpa

(22) "Se eu Mandasse"

(21) Depressão ( A doenç...

(20) O que se faz

(19) Viver para Ser

(18) ECO

(17) Justiça injusta

(16) Ainda ontem era Abri...

(15) Os Renegados

(14) PARA ALIMENTAR A ALM...

(13) Eau de Liberdade

(12) Mudança

(11) Sem Rumo

(10) Mentalidades

(9) Pura inocência

(8) Caos na Natureza

(7) " O Mundo "

(6) Que dizes do mundo

(5) Entre o Chão e o Céu

(4) DICOTOMIA DO QUERER E...

(3) PEDIDO EM ORAÇÃO A UM...

(2) (Des)encontros

(1) Mundo Imundo

POESIA EM REDE http://poesiaemrede.no.sapo.pt/

pesquisar poema

blogs SAPO

subscrever feeds