Domingo, 1 de Abril de 2012

(43) POETA DO MAR ONDULANTE

POETA DO MAR  ONDULANTE

 

Poeta!... que escreveste a maresia

Nas ondas da vida…

Escutando o mar que bramia

Em ondas perfumadas de poesia

Nas estrelas iluminadas

Qual fanal radiante de luz

Guiando o timoneiro…

Enamorado das marés…

Conduziste a Barca do Amor

Percorrendo o vasto oceano

Dum coração humano prisioneiro

Que te fez marinheiro

Na sua vastidão…

Coração batendo no peito

Qual onda que bate em amor  perfeito!

Com anseios de liberdade

Ir além do horizonte visual

Que a vista alcança

Num mar de imensidão!

Ah! Coração! Coração!

Que cantas nessa batida

Os poemas da Vida!

Na pauta musical

Que um dia ao sabor das marés

Nos vem sempre lembrar que és

Nesse vai-vem constante da maresia

Na vida de cada dia…

O Poeta Imortal!

publicado por poesiaemrede às 03:55
link do poema | comentar | favorito
|

Poemas a Concurso

Publicação Final

(45) Manifesto

(44) A miséria que ningué...

(43) POETA DO MAR ONDULA...

(42) Longos sorvos de tem...

(41) Desgraça, grande mal...

(40) A voz da sociedade

(39) O Segredo das Palavr...

(38) Nada

(37) FORCA POÉTICA

(36) Portugal

(35) Globalização fratern...

(34) 18.02, tarde.

(33) livro de reclamações

(32) NO MEU RIO IMAGINÁRI...

(31) Tubarões

(30) Abril

(29) Da lusa gente (ou fa...

(28) Doença

(27) PORTUGAL IMIGRANTE

(26) “Quando perdemos alg...

(25) ANO 2012

(24) Como tu

(23) Desculpa

(22) "Se eu Mandasse"

(21) Depressão ( A doenç...

(20) O que se faz

(19) Viver para Ser

(18) ECO

(17) Justiça injusta

(16) Ainda ontem era Abri...

(15) Os Renegados

(14) PARA ALIMENTAR A ALM...

(13) Eau de Liberdade

(12) Mudança

(11) Sem Rumo

(10) Mentalidades

(9) Pura inocência

(8) Caos na Natureza

(7) " O Mundo "

(6) Que dizes do mundo

(5) Entre o Chão e o Céu

(4) DICOTOMIA DO QUERER E...

(3) PEDIDO EM ORAÇÃO A UM...

(2) (Des)encontros

(1) Mundo Imundo

POESIA EM REDE http://poesiaemrede.no.sapo.pt/

pesquisar poema

blogs SAPO

subscrever feeds